Páginas

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Mapas mentais

Mapa mental, ou mapa da mente[1] é o nome dado para um tipo de diagrama, sistematizado pelo inglês Tony Buzan, voltado para a gestão de informações, de conhecimento e de capital intelectual; para a compreensão e solução de problemas; na memorização e aprendizado; na criação de manuais, livros e palestras; como ferramenta de brainstorming (tempestade de ideias); e no auxílio da gestão estratégica de uma empresa ou negócio.

 

O método

Os desenhos feitos em um mapa mental partem de um único centro, a partir do qual são irradiadas as informações relacionadas. Podem ser elaborados por meio de canetas coloridas sobre folhas de papel ou um programa de computador dedicado. Pode ser aplicado a qualquer tarefa, atividade, profissional, ou lazer, de modo individual ou em grupo para planejar qualquer tipo de evento. Trata-se de um método para planejamento e registro gráfico cada vez mais usado em todas as áreas de conhecimento humano.
O sistema de diagrama dos mapas mentais funciona como uma representação gráfica das idéias que se organizam em torno de um determinado foco.[2] Os mapas mentais funcionam exatamente como o cérebro, segundo Buzan.[carece de fontes?] Quando um mapa mental é elaborado, cada parte do mapa é associada com o restante, criando conexões entre cada conceito.
Na América do Sul, Viviani Bovo e Walther Hermann tratam da aplicação das técnicas gráficas de gerenciamento de informações, ao aprendizado, à expansão da criatividade e à criação de conhecimentos. Grupos de estudo têm se formado pelo mundo, geralmente ligados ao Centro Buzan, para estudar e compreender o sistema de mapas mentais. Por outro lado, o motivador Aldo Novak considera que o sistema de gestão gráfica é ideal para aplicações na organização pessoal, profissional e corporativa.[3]
No Brasil o tema de MAPAS MENTAIS E MEMORIZAÇÃO tem sido abordados pelos autores Felipe Lima e William Douglas [4], na obra MAPAS MENTAIS E MEMORIZAÇÃO PARA PROVAS E CONCURSOS [5], onde o método dos mapas mentais, além de outras técnicas mnemônicas são explanadas de forma prática. Os mapas mentais, se aplicados de forma correta, tem a capacidade de permitir que os alunos estudem de forma bastante eficiente e com a possibilidade de lembrar-se de 100%, de tudo, do que foi estudado e transcrito em forma de mapas.
Mapas mentais são úteis não apenas para "decorar matéria", mas para registrar de forma inteligente e que permita revisões ultra rápidas, os assuntos compreendidos em forma de resumos, que sintetizam o entendimento das matérias.

Por fim, para que se possa fixar melhor todo o conteúdo acima elencado assista ao vídeo: Técnicas de Estudo - Mapas Mentais (com Valéria Dell'Isola) onde Alberto Dell'Isola Recordista latino americano de memorização dá dicas de memorização para provas e concurso.







Gostou? Então divulga!











____________________________
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Notas e referências

  1. Tradução do termo inglês Mind Map.
  2. Este foco é o ponto central que se pretende desvendar.
  3. Título ainda não informado (favor adicionar).
  4. www.williamdouglas.com.br.
  5. www.sougenius.com.br.

`

Um comentário:

  1. Parabéns pelo blog... Gostei bastante!
    Voltarei sempre.
    Ah e obrigado por "linkar" (essa palavra não existe, eu sei, rsrs) meu blog na página inicial de vocês.
    bjkas

    Livan
    www.naoentendodireito.blogspot.com

    ResponderExcluir